Tuesday, July 22, 2014

Por que o Método de Ovulação Billings orienta suas usuárias a não tocar o muco cervical para avaliação tátil?



O muco cervical é uma secreção produzida pelas criptas (glândulas) presentes no canal cervical (endocervice). Sua produção e características sofrem variações de acordo com os níveis hormonais, alterando-o bioquimicamente e biofisicamente durante o ciclo menstrual. Os diferentes tipos de muco são secretados por diferentes criptas nas várias regiões do canal cervical, e esta resposta depende do grau de atividade ovariana e produção de estrogênios.

Algumas das propriedades do muco são: Viscosidade, Elasticidade (filância) e Cristalização. A Filância é caracterizada pela capacidade dos fluídos formarem fios quando esticados, retornando a sua forma original após o fim da pressão. A Cristalização do muco cervical, quando fixado a ar, em lâmina, apresenta um aspecto de arborização com cristalização, esse fenômeno ocorre a partir da formação de cristais de cloreto de sódio e de potássio em torno de uma quantidade de matéria orgânica. E a viscosidade que é classificada como densa, intermediária e fina.
  
Os estudos da atividade da cérvix uterina durante o ciclo, demonstraram que implicitamente todas as mulheres férteis observam, ou podem ser treinadas para observar, a secreção de um único padrão de muco proveniente da cérvix próximos do tempo da fertilidade, que se manifesta na vulva como um fluxo vaginal. Observou-se que a secreção de muco que produz o fluxo vaginal, ao chegar na vulva produz uma alteração na sensação, determinando o que é chamado de sintoma mucoso. O sintoma mucoso se dá pelo estudo das diferentes sensações, produzidas pelas diferentes viscosidades dos diferentes tipos de muco.
 
Apesar da grande divulgação do Método de Ovulação Billings associado a imagem de uma mão com uma certa quantidade de muco sendo distendido, , hoje sabe-se que é um equívoco usá-la, pois esta não é compatível com a realidade do método.


As secreções vaginais drenam em direção a região vulvar e necessariamente produz uma sensação. A mulher é continuamente consciente destas sensações pois é inerente a sua fertilidade. O muco cervical nem sempre será visualizado, e para muitas mulheres alguma visualização de muco durante o seu Padrão Básico de Infertilidade (PBI) pode determinar o início da fertilidade, no entanto, o mesmo não ocorre para identificar o Ápice da fertilidade, pois nesta condição a mulher pode sentir a sensação escorregadia e não visualizar o muco, ou poderá não mais experimentar a sensação de lubrificação vulvar e ver o muco com característica transparente, o que poderá causar confunsão. Usualmente é tentador acreditar mais no que se vê, embora a sensação apresentada diga o contrário. A decisão para optar entre o que se vê e o que se sente, muitas vezes optando pelo que se vê pode levar a perda da confiança no MOB, principalmente quando o método não corresponde a intenção do casal.

Ao longo dos anos a prática do WOOMB ( Organização Mundial do Método de Ovulação Billings) no ensino do MOB, demonstra que procurar o muco cervical dentro do canal vaginal, ou aplicar a técnica para verificar a filância do muco, geram confusão no aprendizado e interpretação do padrão. Os estudos realizados pelo professor Brown, em conjunto com o professor Odeblad, garantem a eficácia da aplicação do sintoma mucoso, baseada nas alterações hormonais que desencadeiam o início do período fértil até a ovulação e a infertilidade pós-ovulatória.

Karen Fernandes, enfermeira e instrutora do Método de Ovulação Billings.











1 comment:

  1. Como consigo acesso aos estudos do professor Brown, em conjunto com o professor Odeblad?
    Quero escrever artigos sobre o método é preciso de fontes.
    Desde já agradeço!

    ReplyDelete